Capa

Snipe Worlds Mundial de Snipe Vela Vela

Brasileiras dominam primeiras regatas do Mundial de Snipe Feminino 2021

Estreia do Mundial de Snipe Feminino contou com duas regatas no Yacht Club Paulista, em São Paulo (SP)

06.10.2021  |  1.531 visualizações

O Mundial de Snipe Feminino 2021 teve início na tarde desta quarta-feira (6), no Yacht Club Paulista, em São Paulo (SP), com 42 duplas participantes de sete países: Alemanha, Argentina, Brasil, Chile, Croácia, Estados Unidos e Noruega. É a 14ª edição do evento internacional e a versão exclusiva só para mulheres é realizada pela primeira vez no País.

O primeiro tiro de largada ocorreu às 14h com uma regata barla-sota, com quatro pernas. O vento variou de 8 a 12 nós e direção Sul na Represa do Guarapiranga. Já na segunda do dia, o tempo virou - queda de quase 15 graus de temperatura a menos.

A competição de Snipe é liderada pela baiana Juliana Duque (YCB), campeã mundial de 2016. A velejadora, que faz dupla com a conterrânea Mila Beckerath, ficou em segundo lugar nas duas regatas do campeonato, e tem 4 pontos perdidos. Na sequência aparecem a gaúcha Martha Rocha e a catarinense Larissa Juk (ICSC/MB) com 7 pontos perdidos.

''Foi uma média boa com dois segundos lugares! A Guarapiranga é uma raia bem difícil. Hoje deu mais vento e foi mais sofrido, mas foi legal'', comemorou Juliana Duque. ''O resultado foi um pouco parecido com de 2016 na Itália quando a gente também começou bem, com ótimos resultados no primeiro dia. É um bom sinal, mas agora precisamos manter a mesma média''.

A regata de estreia do Mundial de Snipe foi vencida pela dupla de Ilhabela (SP) formada por Anna Júlia Tenório e Débora Bergamini.  As baianas Juliana Duque e Mila Beckerath ficaram na segunda posição, seguidas pelo barco da croata Andela Viturri e da norueguesa Maj Kristin Borgen.

A velejadora paulista Anna Júlia Tenório está em um ano especial. Em julho, a atleta integrou o barco +Bravíssimo, campeão da Semana Internacional de Vela de Ilhabela. Sua parceira, Débora Bergamini, é novata também na classe e veleja há menos de dois anos.

''Estava bem ansiosa e nervosa, mas muito feliz de estar aqui, no meu primeiro mundial e representando Ilhabela. A todo momento ficamos com o coração a mil'', disse Anna Júlia Tenório. ''Eu desde que saí do Optimist venho correndo de monotipos e oceano, estou acostumada com isso''. 

A segunda regata do dia do Mundial de Snipe teve as mesmas protagonistas, com Martha Rocha e Larissa Juk se recuperando do sexto lugar da prova de estreia. As duas lideravam na regata inicial e foram ultrapassadas na perna final de popa. Na segunda não deram chances e cruzaram em primeiro.

''Eu velejei muito tempo de Snipe, de 2007 a 2014, fazia a proa para diversas timoneiras. Então é legal estar resgatando essa classe que eu velejava, mas é gostoso porque são barcos que velejam muito perto uns dos outros. Conta muito a tática, muito o posicionamento de regata. É muito legal competir'', explicou Larissa Juk, que fez campanha olímpica de Match Race em Londres 2012. 

As provas do Mundial de Snipe Feminino retornam nesta quinta-feira (7) , a partir de 13h, com previsão de mais duas regatas oficiais. A principal competição da categoria exclusiva para mulheres será realizada até o próximo sábado (9).

''O mais importante desse evento é a diversão das meninas na raia. Muitas estão se reencontrando depois de décadas, como as atletas olímpicas Cláudia Swan e Monica Scheel (470 em Barcelona 92). O nível técnico é muito alto e vamos aproveitar bastante esse momento'', disse Paola Prada, organizadora do Mundial de Snipe Feminino 2021.

O Snipe é uma das classes mais tradicionais da Vela. As mulheres do Brasil já conquistaram o mundial da modalidade, com as baianas Juliana Duque e Amanda Sento Sè na edição de 2016 em Bracciano, na Itália. 

O Mundial de Snipe Feminino tem realização do Yacht Club Paulista e Associação Brasileira da Classe Snipe, com apoio da SCIRA – Snipe Class International Racing Association.

Campeãs Mundiais:

1994 Yokohama, Japão - Pauline Book & Carine Juliussen (NOR)

1996 Mar Menor, Espanha - Pauline Book & Carine Juliussen (NOR)

1998 Annapolis, EUA -  Ekaterina Skoudina & Tatiana Lartseva (RUS)

2000 Trieste, Itália -  Karianne Eikeland & Janett Krefting (NOR)

2002 St. Petersburg, EUA -  Carolyn Brown Krebs and Julie Redler (EUA)

2004 Oslo, Noruega - Andrea & Mariana Foglia  (URU)

2006 Punta del Este, Uruguai - Andrea & Marian Foglia  (URU)

2008 Roquetas de Mar, Espanha - Marina Gallego & Marina Sanchez (ESP)

2010 St. Petersburg, EUA - Anna Tunnicliffe & Molly Vandermoer (EUA)

2012 Malaga,Espanha - Marta & Angela Hernandez (ESP)

2014 Cordoba, Argentina - Maria Paula & Mariala Salerno (ARG)

2016 Bracciano, Itália -  Juliana Duque & Amanda Sento Sè (BRA)

2018 Newport, Rhode Island, EUA -  Carol Cronin & Kim Couranz (USA)

Sobre o barco

Classe: Snipe Class International Racing Association

Nº de tripulantes: 2

Designer: William Crosby

Material do casco: madeira ou fibra de vidro

Ano do primeiro projeto: 1931

Comprimento do casco: 4,7 m

Quantidade de vela: 2 (mestra e buja)

Peso do barco: 173 kg

 

Mais informações com a equipe On Board Sports

Site oficial -- https://2021womens.snipeworlds.org

Entre em contato com a equipe On Board Sports:

Flavio Perez
flavio@onboardsports.net | redacao@onboardsports.net
+55 11 99949-8035
🔛 www.onboardsports.net

 

Leia também...
09.10.2021

Dupla da Bahia ganhou quase todas as regatas no Yacht Club Paulista e garantiu o título por antecipação

08.10.2021

Faltando ainda mais duas regatas e a entrada do descarte, baianas Juliana Duque e Mila Beckerath praticamente garantem o título com desempenho quase perfeito

07.10.2021

Juliana Duque e Mila Beckerath venceram as duas regatas desta quinta-feira (7), no Yacht Club Paulista (YCP)

05.10.2021

Principal competição da categoria 100% para mulheres começa nesta quarta-feira (6) no Yacht Club Paulista