Capa

vela Vela Vela

Martine Grael analisa ciclo olímpico rumo a Paris 2024 e fala sobre desafios da vida de atleta

Bicampeã olímpica participou da estreia do programa Papo com Atleta, promovido pela Secretaria Especial do Esporte

19.04.2022  |  401 visualizações

Nesta terça-feira (19), Martine Grael, bicampeã olímpica e campeã mundial de iatismo, participou da estreia do programa Papo com Atleta, promovida pela Secretaria Especial do Esporte em live no seu canal do Youtube.

O evento online tinha como tema principal os desafios do esporte de alto rendimento para os atletas atualmente. A live também contou com a participação de Bruno Souza, Secretário Nacional de Esporte de Alto Rendimento e ex-jogador da Seleção Brasileira masculina de handebol.

Em sua participação no programa, Martine contou detalhes da preparação no atual ciclo olímpico ao lado de Kahena Kunze, sua dupla nos ouros olímpicos no Rio 2016 e em Tóquio 2020. Ela garante que as duas estão com o “pé no acelerador” rumo aos Jogos de Paris para disputar mais medalhas na classe 49er FX da vela.

“Em 2022, a gente trocou de técnico, viu a quantidade de coisas que ainda tinham que melhorar e o negócio foi escalando. Agora a gente simplesmente está com o pé no acelerador total, participando de todas as etapas de Copa do Mundo e com o calendário preenchido na temporada”, contou Martine Grael.

Com grande experiência em grandes competições, a velejadora brasileira ainda falou sobre suas vivências na vela e analisou os desafios encontrados por aqueles que se dedicam à vida de atleta no Brasil.

“A carreira de atleta tem as viradas, os pontos chave que você se torna profissional, a partir do momento que você começa a perceber que tem potencial, você ainda não tem resultados, mas sabe que pode chegar lá”, afirmou a bicampeã olímpica.  

O Governo Federal brasileiro oferece o Programa Bolsa Atleta àqueles que se dedicam à vida profissional como esportistas. Atualmente, são mais de 7 mil atletas beneficiados. Martine comentou sobre a importância do Programa em sua carreira.

“Eu acho que no Brasil eu tive a sorte de ter crescido nesse momento que surgiu o Bolsa Atleta, porque foi justamente na minha virada de chave para o profissional. Isso me proporcionou poder treinar como se deve para conseguir resultados em disputas de alto nível”.

Martine aproveitou a oportunidade no programa para falar diretamente com os jovens atletas assistindo. Ela deu conselhos importantes para os que planejam seguir na vida de atleta.

“É muito importante definir prioridades e se organizar. Quais são os objetivos a curto, médio e longo prazo. Muita gente acha que a gratificação do esporte vem com o resultado, com o pódio. Mas eu acho que para muitos atletas, com o tempo você percebe que é muito mais sobre alcançar os seus objetivos do que necessariamente ganhar a medalha”, finalizou a bicampeã olímpica.

Você pode acompanhar toda a participação de Martine Grael no Papo com Atleta pelo Youtube:

https://www.youtube.com/watch?v=ikv6_RVQVZQ 

Dupla tem bons resultados recentes

Recentemente, disputando a classe 49erFx, Martine Grael conquistou ao lado de Kahena Kunze a prata na 51ª edição do Troféu S.A.R Princesa Sofía, em Palma de Maiorca, na Espanha.

As bicampeãs olímpicas chegaram na medal race com chances, mas não conseguiram superar as holandesas Odile Van Aanholt e Annette Duetz, que ficaram com o ouro na classe, somando 51 pontos. A prata foi comemorada pela dupla, que fez 61 pontos, e o bronze ficou para as italianas Jana Germani e Giorgia Bertuzzi, com 69.

O próximo desafio das duas será na França, país sede dos Jogos Olímpicos, com a disputa da Semana Olímpica de Hyères, de 23 a 30 de abril. 

A competição em Hyères é sempre usada pelos brasileiros como preparação da vela olímpica anual. Em 2017, por exemplo, Martine Grael e Kahena Kunze venceram o evento francês. Em 2021, Jorge Zarif foi ouro na Finn e Robert Scheidt bronze na Laser.  

Segundo a CBVela, o objetivo na tradicional Semana Olímpica de Hyères é seguir avaliando os melhores atletas para definir a Equipe Olímpica de Vela em Paris 2024.

Alto rendimento

A Confederação Brasileira de Vela (CBVela) e a Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania firmaram uma parceria para apoiar a preparação de todas as equipes brasileiras da modalidade em suas categorias de base. Sede da Rio 2016 e de outros grandes eventos da vela, a Marina da Glória, na capital fluminense, receberá 30 adolescentes entre 13 e 17 anos, que serão convocados para integrar as seleções para os principais campeonatos como Mundial da Juventude da World Saling. 

O projeto, que entrou em vigor em dezembro de 2021, pretende que os jovens atletas se aperfeiçoarem na modalidade, com o propósito de levá-los ao alto-rendimento, incluindo participações em classes olímpicas e pan-americanas. O valor do investimento é de R$ 582.641,28 e o período de execução é de 13 meses.

A vela é uma das modalidades mais vencedoras do esporte olímpico brasileiro. Soma 19 medalhas nos Jogos, incluindo nove de ouro. O País sempre está entre as potências em Jogos Pan-Americanos, com 63 medalhas ao todo, e conta com diversos campeões mundiais, com mais de 80.

Entre os jovens, ganhou títulos de expressão como o ouro de Martine Grael e Kahena Kunze no Mundial da Juventude de Búzios 2009 na classe 420 e o inédito primeiro lugar na Optimist no ano passado com Alex Kuhl, no Lago de Garda, na Itália.

A CBVela também em 2021 assinou sua filiação na Rede Nacional de Treinamento com objetivo de criar um caminho para o atleta desde a sua entrada na modalidade até chegar ao topo do alto desempenho.

Na vela jovem, as categorias mais praticadas são Optimist, dos 7 aos 15 anos, 420, 29er e Laser. Todas versões 'mais leves' das classes utilizadas nos calendários dos Jogos Olímpicos, por exemplo. 

Sobre a CBVela

A Confederação Brasileira de Vela (CBVela) é a representante oficial da vela esportiva do país nos âmbitos nacional e internacional. É filiada à Federação Internacional de Vela (World Sailing) e ao Comitê Olímpico Brasileiro (COB).

A vela é a modalidade com o maior número de medalhas de ouro olímpicas na história do esporte do Brasil: oito. Ao todo, os velejadores brasileiros já conquistaram 19 medalhas em Jogos Olímpicos.

Entre em contato com a equipe On Board Sports:

Flavio Perez

flavio@onboardsports.net

+55 11 99949-8035

www.onboardsports.net

Leia também...
22.05.2022

Brasileiros serão representados por oito velejadores na competição de outubro, no Paraguai

15.05.2022

Competição de vela olímpica terminou neste domingo (15) com nove classes disputadas em quatro dias de evento

14.05.2022

Evento de vela olímpica reúne nove classes e vai até o domingo (15) na cidade da Região dos Lagos do Rio de Janeiro

13.05.2022

Campeonato de vela olímpica em Arraial do Cabo (RJ) chegou ao segundo dia com pouco vento